Verborragias

Aurora Encardida (pt. 3)

Read Article →
É claro que sou um renegado quando se trata de relacionamentos. Sou um erro ambulante e solitário. Quando o havia visto, nada de romântico a...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Aurora Encardida (pt. 2)

Read Article →
Ela quase me puxou pra dentro do boteco. Tinha um cheiro danado de cigarro, e mofo também. Havia uns homens de bigode e chapéu. Havia também...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

Aurora encardida (pt. 1)

Read Article →
Saí da boate antes que eu pudesse dar um tiro contra minha cabeça. O lugar era pequeno e quente, e a rua era extensa e fria. Algumas pessoas...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
2 Comments

A sinfonia dos homens de cinza*

Read Article →
Pela pequena janela do barraco, o menino Vítor viu as luzes vermelhas. Entendeu o motivo de tanta agitação. As velhas deixaram as roupas no ...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

A falta que você me faz

Read Article →
Oi, como é que vai? Tá tudo bem? Sabe que estou morrendo de saudades... Não, é sério, não paro de pensar em você, meu bem. Juro por tudo o q...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
2 Comments

Grito#1

Read Article →
Te entrego, tão belas, essas flores de césio 137, fosforescência nas palmas das mãos, nas pontas dos dedos. Te engano com mil encantos de ur...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

Apatia cidadã

Read Article →
fede essa ignorância que transborda baldes de indolência, a podridão dentro das casas dentro das camas, latência dominical coberta de veludo...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Valituskuoro

Read Article →
Olha a cidade que grita, Que se excita com o próprio pecado. Veja como cintila Com seus olhos furiosos, Um egoísmo ilusório Que não cabe num...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

Quando Vera conheceu o mundo

Read Article →
Vera não era entendida da vida, pelo menos não como suas amigas pensavam. Não havia sentido, até aquelas dezoito primaveras, o calor de outr...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Ele era um vazio ambulante

Read Article →
Era tarde demais para pensar em si mesmo. Viu-se completamente destruído diante daqueles mil pedaços de espelho, espatifados pelo chão do b...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Ópera da lua triste

Read Article →
A lua adoecida cintila lânguida pela janela. É um dia daqueles em que apenas um copo de uísque te entende. Havia ao meu lado, no entanto, aq...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Dentro de mim

Read Article →
a G.M. É um monstro. Ele engole minha tranquilidade. Introduz em minhas noites vazias os sonhos esquecidos nas gavetas. Perco-me nas...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
2 Comments

Putas palavras

Read Article →
As pessoas que com nada se importam são aquelas que viverão por mais tempo. É uma droga escrever no computador, porque nunca consigo me conc...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
5 Comments

Unhas Vermelhas

Read Article →
“Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons”. Carlos Drummond de Andrade Os carros se ...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

Zombio, de Petter Baiestorf (1999)

Read Article →
O cinema possui diversas vertentes, e uma delas é conhecida por diversas denominações, tais como: cinema B, cinema thrash, cinema marginal,...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

Escusa

Read Article →
Em minhas mãos escorre O sangue das feridas que abri Com a minha falta de piedade Comigo mesmo. O corpo que se esconde Nas trevas do passa...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Níquel

Read Article →
Estátuas vivas nas ruas, inertes na espera de um níquel. O mármore das faces pintadas ilumina a cidade como um outdoor obsceno, e encaram ...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
4 Comments

Poeminha safado

Read Article →
de quatro no quarto só à dois, o pênis que incha e ferve, entra na escuridão de qualquer orifício e lava o corpo com a mais amarga das por...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Foi um sábado longo

Read Article →
Tarde quente. Os mosquitos picavam, alvoroçados. Maria Cleusa, parada no ponto de ônibus, esperava impaciente voltar para sua casa. Trabalha...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Confissões

Read Article →
Cada um cobre os seus buracos como acha melhor - buracos feitos por mágoas e angústias, que, mesmo com o tempo, não conseguiram cicatrizar....
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

No silêncio

Read Article →
O suspiro se prolongou em um sussurro profundo, e a pele molhada de fluídos perpetuou aquelas poucas horas mergulhadas no escuro do quarto....
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Questionário

Read Article →
No terceiro copo de café, cai a sensação em mim de uma tempestade interminável, no qual tento de encontrar, mas apenas vejo espelhos. Em te...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
0 Comments

O aquariano

Read Article →
O aquariano é um bicho esquisito, desses que não se vê em qualquer lugar. Não é à toa que a maioria os acham malucos, um tanto excêntricos....
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
1 Comments

Depois daquele beijo

Read Article →
Sentiu pela última vez aquele gosto de pasta de dente grudado na boca dela, que se misturava com o gosto de cigarro dele. Era a última vez ...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
2 Comments

Asa Negra

Read Article →
Quando olhei a terra ardendo com a fogueira da Inquisição, Eu perguntei ao Cão do Inferno, ai Por que tamanha judiação? Que l...
Escrito por : Leandro Noronha da Fonseca
2 Comments